O amor cortês: elevação da mulher na Idade Média e início da emancipação feminina

A arte de cortejar a mulher, por meio de poemas e galanteios obter o seu “sim” – o amor cortês – surgiu na segunda metade da Idade Média. Antes disso, a violência física e verbal contra a mulher era considerada “normal”. Por toda a Europa, as agressões domésticas levavam mulheres a preferir a morte.

“Graças à revolução amorosa, os homens refinaram-se, poliram-se, tornaram-se um pouco mais civilizados, corteses, aprendendo a cortejar a dama até onde ela o permitisse. Elas então passaram a dar a palavra final. Hoje, graças a isso, sem o sim feminino, sem o seu consentimento, não há amor, não há romance, não há paixão. Poder dizer sim, poder não: esse foi a mais notável contribuição medieval aos tempos vindouros. E se hoje, no mundo ocidental, elas ainda estão galgando posições em busca de igualdade de condições, devemos precisar o primeiro passo em direção à essa emancipação: o amor cortês, carinhoso e gentil, criado pelos medievais.”1

1 COUTINHO, Priscilla Lauret e COSTA, Ricardo da. Entre a Pintura e a Poesia: o nascimento do Amor e a elevação da Condição Feminina na Idade Média. http://www.ricardocosta.com/artigo/entre-pintura-e-poesia-o-nascimento-do-amor-e-elevacao-da-condicao-feminina-na-idade-media

Esta entrada foi publicada em Sem classificação. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta